BnBird: um parceiro com quem podemos aprender!

Na LUGGit trabalhamos todos os dias com os nossos parceiros. Eles são importantes para a nossa atividade e nós para eles. Com a LUGGit, os clientes dos nossos parceiros têm acesso a um serviço que lhes oferece muito mais tempo livre para verem a cidade sem preocupações. Preocupamo-nos em manter uma relação forte e saudável com os nossos parceiros. Gostamos de os perceber melhor, de os conhecer e de sabermos como os podemos ajudar cada vez mais e melhor. Por isso, decidimos ir falar com o Guilherme Afonso e o Miguel Correia, fundadores e Diretores Executivos da BnBird:

LUGGit: Como é que se conheceram e porque é que a BnBird nasceu?

BnBird: Nós trabalhávamos numa produtora desde 2012, o Miguel era Realizador e eu era editor de áudio e em finais de 2015 fartámo-nos da área. Ainda sinto alguma saudade quando falo disto, mas a área da produção é pouco estimulante em Portugal e os salários também não são atrativos como lá fora. Nós fazíamos alguns filmes institucionais e publicidade para televisão, mas o prazos, pressão e stress fizeram com que acabássemos por sair. Depois mais tarde descobrimos que isto também dava muito stress (risos). Em 2016 o Miguel falou comigo depois de uma viagem e contou-me sobre este projeto um pouco doido. Não havia dinheiro e ninguém conseguia entrar com grande capital. O Miguel projetou toda a parte financeira e depois de algumas reuniões decidimos arrancar com o projeto, em 2016. Oficialmente, a criação da empresa foi em 2017. Começámos com um apartamento interessante, T1, que gerimos até hoje.

LUGGit: Voltando um pouco atrás, porquê esta área?

BnBird: Eu já tinha um apartamento onde faço alojamento local desde 2014. Aproveitei o boom e quando comecei a explorar o apartamento era ainda uma altura em que compensava comprar imobiliário. O Miguel já me falava sobre o turismo e sobre a galinha dos ovos deouro que é o Turismo quando nos encontrávamos. O Turismo fazia sempre parte das nossas conversas. Nunca me imaginei a abrir uma empresa de turismo, mas aqui estou eu. E é um projeto muito aliciante, apesar do stress e do trabalho que dá. Nós no início chegámos a fazer todas as limpezas, os check-ins, faturação, fazíamos todo o processo. Agora temos 12 pessoas connosco em Full-Time. O nosso primeiro escritório era um hall junto com várias salas. O senhorio colocou uma cortina a dividir e foi esse o nosso espaço durante um ano. Foi uma parte da nossa jornada muito divertida. Depois passámos para outro escritório, uma coisa mais séria. No entanto, esse escritório começou a ficar pequeno porque a nossa equipa começou a crescer.

LUGGit: Vocês têm 120 alojamentos neste momento. Quais são os maiores desafios que vocês encontram?

BnBird: Há aqui duas coisas que são muito importantes. Nós temos dois clientes diferentes: é o hóspede e o proprietário. Por um lado, queremos proporcionar o melhor ao hóspede, mas também queremos proporcionar a maior rentabilidade possível ao proprietário. Temos de ser duros para um lado para favorecer o outro e vice-versa. A parte mais desafiante a partir de agora vai ser lidar com os proprietários. Porque muitos já perceberam que o período de ouro do AL já começa a desaparecer, mas é ainda muito importante fazer uma gestão de expectativas. Não pela quebra do turismo, mas sim pela massificação. Hoje em dia há muita competição e acho que os rendimentos vão também começar a descer, por isso vai também haver muita gente a querer sair deste ramo. Este ano foi claramente mais desafiante que os anteriores.

LUGGit: O que é a marca BnBird para quem tem apartamentos e para quem viaja? Ou seja, o que são como marca? O que querem que as pessoas que contactam com vocês sintam? Porque é que alguém deverá escolher o BnBird?

BnBird: Uma das coisas que temos mesmo desde o início é a confiança e a proximidade. Todos os proprietários com que lidamos, de todos os países, para eles a BnBird ainda é o Miguel e o Guilherme. Ainda há essa relação de confiança com os proprietários, até porque grande parte deles são estrangeiros. Eles dão-nos as chaves e estão nos países deles. Vêm cá visitar-nos de vez em quando porque muitos têm visto Gold e têm de vir cá passar uma temporada. Há muito esse cuidado e atenção com o proprietário. É isso que nos distingue de empresas como hostmaker, feelikehome, em que esse contacto já não existe. Quando há reuniões em que vamos ver o apartamento, por vezes cruzamo-nos com a concorrência e muitas vezes é um comercial que representa a empresa. Isso tem feito muita diferença. Um dos nossos objetivos é expandir. Já estamos no Porto, e se perguntarem quem é a BnBird no Porto é essa mesma pessoa, não somos nós. É importante que as pessoas que trabalhem connosco que tenham essa mesma filosofia. A nível de experiência, acaba por ser muito transparente porque os proprietários têm também acesso aos relatórios de rentabilidade. A palavra-chave é sempre: Confiança e proximidade. O serviço que entregamos ao proprietário, é um serviço 360º. Um proprietário pode entregar-nos as chaves da propriedade sem mobília e num mês conseguimos preparar o imóvel com mobília e tudo o que é necessário para o por a rentabilizar. Às vezes custa-nos muito dizer que não a um cliente. Lá está, é a situação da gestão de expectativas. Porque o cliente pensa que tem um casarão e na verdade, não é isso o que se passa.

LUGGit: E o que fizeram com a pessoa do Porto para que ela consiga passar a mesma confiança que vocês para os clientes do Porto?

BnBird: Essa pessoa é muito especial, é a mãe de uma amiga minha da universidade. É uma senhora com mais de 50 anos. Com muitos anos de negócios, ela sempre teve empresas. É Colombiana, mas já está em Portugal há mais de 40 anos. No fundo, nós passámos essa mensagem e o que nós aplicamos aos proprietários, aplicamos também com ela, a questão da confiança e da transparência porque todo o dinheiro circula primeiro por aqui e depois é que transferimos para o Porto. No Porto durante meses gerávamos cerca de 300€ por mês, mas ela acreditou. Tínhamos uma casa apenas e agora já temos uma faturação 20 vezes superior e mais de 30 casas a serem geridas. Ela fazia muito o trabalho de comercial e de decorações. Não posso dizer que houve uma formação. Não foi por aí. Na verdade, tivemos muita sorte porque é uma pessoa espetacular e muito exigente. A nível de limpeza ela é de uma exigência incrível. Ela diz que quando vai a uma casa fazer um check-in, que tem de conseguir por o baton apenas com o reflexo de uma colher. Nós temos um portfólio de casas muito diferenciado, desde casas de 50€ até 400€ e temos de manter sempre a qualidade em qualquer uma delas.

LUGGit: Estamos aqui para falar também do futuro. Quais são os vossos objetivos?

BnBird: Um dos projetos é crescer em número de casas e localização geográfica. A expansão passa por Portugal. O crescimento tem de ser sustentável. Não pode ser um crescimento abrupto. Não me adianta ter 200 casas, se eu não consigo manter o bom serviço. Pretendemos crescer devagar e com calma. Houve uma altura que sentimos necessidade de acalmar o crescimento um pouco, porque começámos a ter muitas casas e aproveitámos essa onda para aumentar a nossa comissão. Este aumento serve também como travão para o surgimento de novas casas no nosso portfólio. Há duas formas de crescer: uma delas é com o número de casas, outra é crescer na qualidade em si. Eu posso ter 100 casas e alugar a 60€ ou 70€ por noite, ou ter 30 casas e alugar a 300€ por noite. Portanto, nós queremos crescer de duas formas: manter em Lisboa o mesmo número de casas, mas fazer um refresh ao portfólio, ou seja, aumentarmos o nível das casas que temos. Depois, pretendemos ir para outras localizações e fazermos o mesmo. Queremos ir em breve para o Algarve e crescer fora, seja para o Brasil ou Holanda ou outro país. Nestas localizações pelo menos, ambos conhecemos pessoas e já temos clientes e possíveis parceiros que vivem aí – o que poderá ser já meio caminho andado. No Brasil, é um mercado que só está a aparecer agora, ainda está longe de como é na Europa. Pode ser interessante levar o know-how daqui da Europa para o Brasil. No nosso caso, todos os check-ins são feitos pessoalmente e também temos alguns projetos para automatizar alguns processos em gamas mais baixas.

LUGGit: Que parcerias é que são mais importantes para vocês para o funcionamento do serviço?

BnBird: Limpeza e manutenção. São as duas chaves. 99% do trabalho é feito por parceiros externos. Se o cliente entrar no apartamento e se estiver totalmente limpo e funcional, diria que são 85% das razões para uma boa review. Se o cliente teve um momento de espera alargada antes de entrar no apartamento, ele até pode esquecer isso assim que entra porque vê um apartamento em condições. Mas se ele teve esse mesmo momento desagradável e de seguida entra no apartamento com sujidade ou móveis abertos, ele vai quase seguramente dar uma má review. Portanto, limpeza e manutenção são mesmo chave. Tudo o que é fora disso, é sempre um bónus. Por exemplo: os tours, os transfers e até a LUGGit ou parcerias de entrega de pequeno almoço. No caso da LUGGit, já tivemos várias vezes comentários que vos fazem referência, positivamente.

LUGGit: Que parcerias é que são mais importantes para vocês para o funcionamento do serviço?

BnBird: Limpeza e manutenção. São as duas chaves. 99% do trabalho é feito por parceiros externos. Se o cliente entrar no apartamento e se estiver totalmente limpo e funcional, diria que são 85% das razões para uma boa review. Se o cliente teve um momento de espera alargada antes de entrar no apartamento, ele até pode esquecer isso assim que entra porque vê um apartamento em condições. Mas se ele teve esse mesmo momento desagradável e de seguida entra no apartamento com sujidade ou móveis abertos, ele vai quase seguramente dar uma má review. Portanto, limpeza e manutenção são mesmo chave. Tudo o que é fora disso, é sempre um bónus. Por exemplo: os tours, os transfers e até a LUGGit ou parcerias de entrega de pequeno almoço. No caso da LUGGit, já tivemos várias vezes comentários que vos fazem referência, positivamente.

LUGGit: Porque é que decidiram escolher a LUGGit, mesmo sem nos conhecerem de lado algum?

BnBird: A forma como o projeto foi explicado na altura foi muito interessante. E depois há aqui também um fator em que queremos sempre oferecer o melhor para os nossos hóspedes. Pareceu-nos um serviço bastante interessante e inovador. A parte da inovação também teve aqui um peso fundamental. E porque acreditamos em projetos novos. Se as pessoas também não acreditassem em nós, não estávamos aqui a falar. Foi isso que nos fez decidir que sim, faria todo o sentido trazer a LUGGit para nós. Hoje em dia as pessoas vivem muito com as tecnologias, faz-se tudo com aplicações. Estamos sempre a tentar levar essa tecnologia para este mercado, através de fechaduras automáticas, ou outras formas e então estamos sempre a pensar como inovar. Tem a ver com a inovação e a aposta também em pessoas como vocês, que são empreendedores. E também o que é muito importante é o serviço que é prestado ao hóspede. Temos muitos emails em que nos oferecem parcerias e às vezes preferimos não fazer por ser complicado. Com a LUGGit basta enviarmos um link com o código ao cliente e está feito. Isso foi uma das coisas que gostámos da LUGGit, a simplicidade. As pessoas aqui já têm muito trabalho e isso é mais simples que recomendar uma luggage storage. Estar a ver moradas, ver se está aberto àquela hora e qual fica mais perto, dá-nos mais trabalho. A vossa solução é muito mais apelativa ao hóspede e oferece um maior conforto.